Bilateral renal dysplasia: diagnosis in a bitch of the Rotweiler breed-Case report

A doença renal crônica afeta vários sistemas do corpo e se apresenta com grande variedade de manifestações clínicas e de etiologias múltiplas: distúrbios imunológicos, genéticos, amiloidose, neoplasia, inflamação, infecção e obstrução do fluxo urinário são reconhecidas como possíveis causas para a instalação da doença renal em cães1,2,3,4.

Dentre as alterações anatômicas renais, que podem ser transmitidas através de genes específicos5,6, a displasia renal é a mais frequente, classificada como uma enfermidade congênita, caracterizada por alterações no desenvolvimento do parênquima renal durante o período embrionário7.  É uma enfermidade frequentemente relatada em cães independente da raça2,3,8 se manifestando entre 3 meses a dois anos4 de idade.  Exames complementares, como bioquímica sérica e urinálise, auxiliam no diagnóstico da enfermidade2,3,9, porém a ultrassonografia é um exame que permite excelente visualização dos rins e avalia a morfologia renal podendo indicar a displasia3,10,11,12, mesmo quando ainda não há alterações enzimológicas8.  Na avaliação histológica, visualizam-se no parênquima renal, glomérulos rudimentares e atróficos, dilatação do espaço de Bowman, associado à dilatação e atrofia tubular cística, túbulos imaturos, inflamação intersticial linfocitária e fibrose2,3,4,8.

O diagnóstico prematuro da displasia renal permite o manejo adequado do paciente, proporcionando melhoria na qualidade de vida.

O objetivo deste trabalho é relatar a displasia renal bilateral, como enfermidade grave, tendo como método de diagnóstico a ultrassonografia, mostrando ser um método diagnóstico eficiente e a confirmação pela histopatologia do tecido renal.  Ratificando a importância da ultrassonografia na rotina clínica como método diagnóstico e como exame necessário em cães jovens.

Resumo: Uma cadela da raça Rotweiller, não castrada, 13 meses de idade, foi atendida no serviço de saúde veterinário da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ, apresentando prostração e, no exame físico, dor abdominal. Os resultados encontrados nos exames hematológicos foram: anemia, hemoglobina 8,1 g/dL, eritrócitos 3,4 milhões/mm3, caracterizando anemia arregenerativa, proteína plasmática 8,0 g/dL, com albumina 2,9 g/dL, globulinas 3,7 g/dL, fósforo 13,5 mg/dL, creatinina 5,93 mg/dL, ureia 444 mg/dL, potássio 3,04 mg/dL. As análises urinárias mostraram pH 6,0, densidade de 1.010. A ultrassonografia abdominal mostrou rins com moderada diminuição da definição cortico/medular, espessamento e aumento da ecogenicidade das corticais com ecotextura grosseira, sugerindo nefropatia, compatível com displasia, resultado confirmado na análise histopatológica. Ratificando a necessidade de associação de metódos diagnósticos e importância da ultrassonografia na rotina clínica como recurso diagnóstico e necessário em cães jovens.

Abstract:A 13 – month – old unmarried Rotweiller bitch was treated at the veterinary health service in Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, RJ, presenting prostration, physical examination showed abdominal pain. The hematological results were: anemia, hemoglobin 8.1 g / dL, erythrocytes 3.4 million / mm3, characterized by arregenerative anemia, plasma protein 8.0 g / dL, with albumin 2.9 g / dL, globulins 3 , 7 g / dL, phosphorus 13.5 mg / dL, creatinine 5.93 mg / dL, urea 444 mg / dL, potassium 3.04 mg / dL. Urinalysis showed pH 6.0, density of 1.010. Abdominal ultrasound showed kidneys with a moderate decrease in corticomedullary definition, thickening and increased cortical echogenicity with coarse ecotexture, suggesting nephropathy, compatible with dysplasia, confirmed in the histopathological examination. Ratifying the need for association of diagnostic methods and the importance of ultrasonography in the clinical routine as a diagnostic and necessary resource in young dogs.

O artigo esta disponível em Congresso ANCLIVEPA RIO Revista Clínica Veterinária

www.ctiveterinario.com.br

Paulo Daniel Sant’Anna Leal, BMV, MSc, Dr. CsVs, CNPq.br/Lattes
Coordenador Técnico do Centro de Terapia Intensiva e Emergência Veterinária
Médico-Veterinário, Mestre-MSc e Doutor-DScV, Membro da Academia de Medicina Veterinária do Estado do Rio de Janeiro.  Pós Doutorando Curso de Pós-Graduação de Ciências Veterinárias.  Anexo 1, Instituto de Veterinária, Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ). BR 465 km 7. Campus Seropédica, 23.890-000, RJ. E-mail: ctivet@ctiveterinario.com.br

Paulo LealBilateral renal dysplasia: diagnosis in a bitch of the Rotweiler breed-Case report

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *